Posse do novo diretório do PT Guarapari

video

Moção do PT Guarapari

Dia 27 deste, teremos o Encontro de Definição de Tática Eleitoral.
Com a declaração de permanência no cargo, o governador põe abaixo toda articulação da CEE para as eleições estaduais em 2010.
Cabe agora aos companheiros deste encontro corrigir os nossos caminhos.
Diante do quadro o PTGuarapari faz um apêlo aos militantes e especialmente aos delegados com a seguinte moçao:


"Queremos, por isso mesmo, um partido amplo e aberto a todos aqueles comprometidos com a causa dos trabalhadores e com o seu programa. Em conseqüência, queremos construir uma estrutura interna democrática, apoiada em decisões coletivas e cuja direção e programa sejam decididos em suas bases."
(Texto extraído do manifesto aprovado pelo Movimento Pró-PT em 10 de fevereiro de 1980, no Colégio Sion (SP), e publicado no Diário Oficial da União de 21 de outubro de 1980.)

 

Quando em setembro de 2009 houve por parte da direção estadual do PT a decisão autocrática, impondo ao conjunto do partido decisões que desrespeitavam cláusulas estatutárias e às orientações aprovadas pelo Diretório Nacional, fomos   o único Diretório a demonstrar  formalmente nossa preocupação, não só com o equivoco tático, mas também com a pratica política estabelecida dentro do partido.

As últimas declarações do governador fizeram cair por terra a premissa que norteou a geopolítica de gabinete que o Partido dos Trabalhadores tanto condenou e acabou deixando-se levar dentro da lógica perversa de que “o fim justifica os meios”.

A declaração do governador de que apoiaria uma candidatura do PDT ao governo do estado  - sem precisar  a data (precisava?), mostra muito bem a fragilidade das alianças pessoais que foram construídas. Em especial aquelas que dividem para imperar e desgastar a unidade do PT. Quem nunca gostou do PT não vai fazê-lo agora no ocaso de um governo.

Nossos estrategistas conseguiram transformar um partido que foi o grande vitorioso nas eleições de 2008, elegendo os prefeitos de 4 das 6 principais cidades capixaba (Vitória, Cariacica, Cachoeiro e Colatina),  um partido que  sempre foi protagonista, em um coadjuvante nas eleições de 2010.

É lamentável ver que, usando pretexto da eleição da companheira Dilma, anseio de todo militante petista, transformem nosso partido em um mero apoiador da política das oligarquias do estado.

Estamos nos transformando em nome desta submissão: calamos diante das denuncias de crime contra os direitos humanos e votamos contra eleições diretas nas escolas ( uma de nossas bandeiras históricas)...

Nós do PT-Guarapari esperamos que o Encontro do dia 29 de março de 2010 seja sábio em suas decisões.
Esperamos que os companheiros, diante da realidade que nos deprime e assusta, sejam capazes de reagir e traçar para o PT uma alternativa ao quadro construído pela Comissão Executiva Estadual, de um verdadeiro caminho na luta por mais democracia  e rumo à construção do socialismo democrático:

1 – Considerando a não candidatura do Ciro Gomes a presidente e da candidatura do Renato Casagrande ao governo estadual, somos favoráveis ao duplo palanque para a companheira Dilma ou a um reagrupamento da esquerda no Espirito Santo, conforme item 4 desde documento.

2 - Por uma aliança na proporcional que garanta espaço político no ES à altura da importância do PT capixaba e sustentabilidade a um futuro governo Dilma, Essa alinça proporcional não passa pelo PMDB, muito pelo contrário.

3 – Por um candidato PETISTA a senadoria. Temos quadros à altura, como Perly Cipriano, Iryni Lopes, Guilherme Lacerda, Givaldo e Dudé, sem precisarmos abrir mão de nossos prefeitos.

4 -  O PT deve fazer todos os esforços para reagrupar uma frente de partidos de esquerda - PT,PSB,PCdoB,PDT - que constitui maioria esmagadora pelo resultado do último pleito de  2008 , sendo que a direção política dessa aliança deve caber ao nosso partido. Até junho temos tempo para construção desse palanque, sem a pressa afoita e ingênua que levou a uma aliança subalterna ao palácio do governador e que o seu "fico" desmanchou a frágil arquitetura política.

5 - Somos favoráveis a que o PT-ES mantenha a questão das alianças no Estado aberta por maior tempo, para que haja uma política de partido e não de  alguns líderes.

Esperamos que o impasse que nos colocaram, sirva de reflexão ao conjunto do partido, no sentido de conscientizar que sem a construção de um partido democrático, ligado as bases, voltado às aspirações das classes trabalhadoras , fatalmente seremos engolidos pela pratica política das oligarquias.

 

Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores de Guarapari
(Mensagem ao Encontro Estadual aprovado em Reunião do DM de 20/03/2010)

Desmontando mais um factóide

Justiça nega bloqueio de contas da Bancoop e questiona procedimentos de Blat

do site do Partido dos Trabalhadores
A Justiça de São Paulo negou nesta quinta-feira (11) o pedido de bloqueio das contas da Bancoop e não autorizou a quebra do sigilo bancário do ex-presidente da cooperativa, João Vaccari Neto, atual secretário de Finanças do PT.
Os pedidos haviam sido feitos pelo promotor José Carlos Blat – que, sem base jurídica nem factual, tem usado a imprensa na tentativa de envolver o PT e seus integrantes no processo que investiga supostas irregularidades na administração da Bancoop, uma cooperativa habitacional ligada ao Sindicato dos Bancários de São Paulo.
Em seu despacho, o juiz questionou porque o pedido de bloqueio só veio agora, passados mais de três anos do início da investigação. Quanto à quebra de sigilo, determinou ao promotor aponte, nos autos, os indícios que o levaram a fazer tal solicitação.
O juiz também negou o pedido de oitiva para ouvir Vaccari e outras pessoas. Segundo ele, para que eventualmente o inquérito chegue a essa fase, primeiro o promotor deverá prestar todos os esclarecimentos necessários.

As masmorras de Hartung aparecerão na ONU

ph

Elio Gaspari

O economista bem educado governa no ES um sistema prisional que envergonharia o soba do Uzbequistão

NA PRÓXIMA segunda-feira, dia 15, o governador Paulo Hartung (PMDB-ES) tem um encontro marcado com o infortúnio. Depois de anos de negaças, o caso das "masmorras capixabas" será discutido em Genebra, num painel paralelo à reunião do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas. Hartung tem 52 anos, um diploma de economista e a biografia de um novo tipo de político. Esteve entre os reorganizadores do movimento estudantil no ocaso da ditadura. Filiou-se ao PSDB, ocupou uma diretoria do BNDES, elegeu-se deputado estadual, federal, e senador.
Na reunião de Genebra estará disponível um "dossiê sobre a situação prisional do Espírito Santo". Tem umas 30 páginas e oito fotografias que ficarão cravadas na história da administração de Hartung. Elas mostram os corpos esquartejados de três presos. Um, numa lata. Outro em caixas e uma cabeça dentro de um saco de plástico. Todos esses crimes ocorreram durante sua administração. Desde a denúncia da fervura de presos no Uzbequistão o mundo não vê coisa parecida.
As "masmorras capixabas" são antigas, mas a denúncia teve que ser levada à ONU porque as organizações de defesa dos direitos humanos não conseguem providências do governo do Espírito Santo, nem do comissariado de eventos de Nosso Guia. Sérgio Salomão Checaira, presidente do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, demitiu-se em agosto do ano passado porque não teve apoio do Ministério da Justiça para reverter o quadro das prisões de Hartung. Há um mês, uma comitiva que visitava o presídio feminino de Tucum (630 presas numa instituição onde há 150 vagas) foi convidada a deixar o prédio. Se quisessem, poderiam conversar com as prisioneiras pelas janelas.
O Espírito Santo tem 7.000 presos espalhados em 26 cadeias, com uma superlotação de 1.800 pessoas. Há detentos guardados em contêineres sem banheiro (equipamento apelidado de "micro-ondas"). Celas projetadas para 36 presos são ocupadas por 235 desgraçados. Alguns deles ficam algemados pelos pés em salas e corredores.
Os governantes tendem a achar que os problemas vêm de seus antecessores, que as soluções demoram e que, em certos casos, não há o que fazer. Esquecem-se que têm biografias.
O relatório com fotos dos esquartejados está no seguinte endereço:
AQUI

Aviso: é barra muito, muito pesada.
Fonte: Clipping TSE

Sobre as masmorras de Hartung.

O artigo do jornalista Élio Gaspari, bem como as imagens da mais cruel e patológica barbárie que o governo do Espírito Santo comete, nos leva a pensar que já tínhamos visto todo tipo de crueldade e desumanidade naquele político do estado do Acre, coronel Hildebrando Pascoal, chefe do crime organizado, que usava serra elétrica para matar e esquartejar àqueles que atravessassem o seu caminho. Também não é mera semelhança as jaulas dos encarcerados com as jaulas dos negros escravos, como não é mera semelhança as câmaras de gás dos nazistas com o sistema prisional do Espírito Santo, ambos asfixiantes, ambos torturantes. Tortura que é crime hediondo, tortura que sofri, sofremos, nos cárceres da ditadura militar brasileira.
A irresponsabilidade de um governo estadual levará o Brasil a ser julgado na ONU. Na exata estação na qual o governo Lula elevou o Brasil ao papel de protagonista no cenário internacional.
A nós do PT-ES, cabe a indagação: qual é o preço de participar de um governo que impregna suas mãos de crueldade sem limites, de agressão institucional aos direitos humanos? Será o preço da cumplicidade, porque a participação tem sido acrítica, conformista e silente.
Não é mais aceitável o silêncio do PT-ES. A sua omissão será entendida como conivência, senão até como covardia. Se não atiramos a primeira pedra, também não podemos permitir que as últimas pedradas da indignação, que tomará conta de todo o país e do mundo, recaia sobre nós.
Como a história nos julgará? Teremos estatura moral para nos indignarmos, fazendo coro com as pessoas de bem do mundo inteiro? Evidente que será muito difícil, pois estamos aliados, não apenas ao governo Hartung, mas a sua continuidade.
O Encontro Estadual do PT-ES é soberano. Ainda é tempo de não entrarmos para história capixaba como co-réu de um governo que, provavelmente, será condenado, e o Brasil pagará o preço desse desgaste.
Um petista que não se enoja e se indigna diante da barbárie, não pode ser considerado PETISTA. E temos moral para assim falar, porque durante o PED o nosso candidato a presidente, Perly Cipriano, não apenas denunciou como alertou que o Brasil acabaria sendo julgado pelas cortes internacionais por esses crimes contra os direitos humanos. Mas os ouvidos foram moucos, o silêncio permaneceu.
E agora, companheiros (as), o quê fazer?

 

Algumas fotos constantes no relatório:

…………………………………………………………………………………………………………

Para ver o relatório completo  clique AQUI.

ALERTA : SÃO CENAS FORTES, NÃO ACONSELHAVEL A EMOTIVOS

Mulheres criam blog de apoio a Dilma

Com depoimentos de amigas de infância e companheiras de militância política, entrou à noite passada no universo online o blog Mulheres com Dilma. Tem o endereço www.mulherescomdilma.com.br e suas editoras se apresentam como “mulheres identificadas com Dilma Rousseff” e “mobilizadas por um país melhor para vivermos”.

    Os depoimentos postados e acessíveis em texto e video são de Sonia Macedo, Eda Guillen e Neusa Ladeira, que expõem traços da personalidade de Dilma, de quem são amigas desde a infância, em Belo Horizonte (MG).

    Além dos testemunhos sobre a atual ministra, o blog reúne notícias de interesse da população feminina e permite acesso a 30 links de órgãos públicos, entidades e instituições com atuação dirigida às mulheres.

Lula anuncia mais um milhão de moradias populares

 

lula-   O presidente Lula afirmou ontem, durante encontro com empresários em El Salvador, que anunciará investimentos para a construção de mais um milhão de moradias populares na segunda etapa do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), que será lançado no fim de março.

   “Vamos anunciar mais um milhão de casas no próximo período, que é pra não parar mais”.